terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Poesia sem fama - o retorno!

Lá se vão todas as tentativas de auto-engano

Não há como fugir

Quando o coração se espreme

É sinal que vai mesmo sair pelos olhos,

Mas calma, respire uma...duas...três vezes!

Não há razão para acanhamento

Verás que até a arte precisa ser espremida para percorrer e deslizar pelos olhos alheios.

2 comentários:

Ricardo Dib disse...

Que nem uma laranja precisa ser espremida pra se extrair o suco...

Eita, que comparação mais prosaica! hehe!

Sah-Gatiba disse...

Nunca mais tinha passado por aqui, quando passo é pra ler algo perfeito pro momento! :)
Beijos Nêssa!